ESCADARIAS DO CENTRO DE JUNDIAHY

 

Pelo menos 20 escadarias ou lances de degraus marcam alguns dos caminhos de moradores nas colinas entre rios do centro histórico de Jundiahy. 

 

O levantamento é do cientista social e jornalista José Arnaldo de Oliveira, que já apontou a existência de 50 praças ou áreas verdes nessa área. 

 

O Escadão é a mais tradicional escadaria do centro histórico, desde o início do século XX. Conta agora com rampa acessível e um outro caminho de degraus. É o acesso entre as regiões históricas da Esplanada Monte Castelo e da Vila Argos.  

 

Outra, menos conhecida, fica na curiosa Vila Inhamupé, com uma escadaria entre o final da rua Rangel Pestana e a rua Dulce Simonsen como acesso opcional entre as regiões da Vila Municipal e da rua dos Bandeirantes. 

 

A Travessa da Padroeira ainda tem uma escadaria no seu final, com acesso entre a região da rua da Palha (Prudente) e Largo da Matriz com a região da avenida União dos Ferroviários e Estaçãozinha. E é vizinha de outra escada, como acesso opcional para a rua Dr. Torres Neves.

 

Aliás, a Estaçãozinha causou também mais duas escadarias, no viaduto São João Batista de 1950. Antes ligadas em suas duas plataformas, hoje dão acesso para a Vila de Vito e para a avenida União dos Ferroviários. 

 

Na Rua da Palha (Prudente), uma pequena escadaria quase na estreita rua Jules Rimet dá acesso ao Sororoca e avenida União dos Ferroviários. Antes, também para a Barreira (Vila Rio Branco), mas esse acesso foi fechado.  

 

Na rua Torta, uma curiosa escadaria fica na rua Marcílio Dias, no início da avenida Paula Penteado e no final da rua Zacarias de Góis. É um acesso para estrada de Pirapora. Algumas histórias dizem que se ligava ao Beco do Pelourinho encampado pelo quartel.

 

 

 

A Bela Vista tem uma escadaria, hoje fechada, entre a rua Bela Vista e a rua Raquel Carderelli. Era acesso ao Largo Santa Cruz e ao Largo da Matriz.

 

Na Vila Argos são duas de pequeno porte. Uma de acesso para a Vila Argos Nova, na avenida doutor Cavalcanti, na área verde ao lado do rio Guapeva. E outra de acesso para a Vila Argos Velha, na rua Vigário J.J. Rodrigues.

 

O Largo São Jorge tem duas escadarias, sendo a mais nova e usada no acesso para o Córrego do Mato (avenida Nove de Julho) a partir da antiga fábrica que hoje abriga o Extra. E outra, na rua Bonifácio da Rocha, com acesso para a rua Onze de Junho entre a Vila Boaventura e a Chácara Urbana.

 

O Largo da Matriz não tem desnível da praça ou da rua, mas ali a escadaria fui usada como atrativo na charmosa Galeria Bocchino. 

 

Os demais casos são degraus pontuais em praças, como no Largo São Bento (praça São Bento), Largo da Cadeia (praça Tibúrcio Estevão Siqueira), Largo dos Andradas (praça dos Andradas) e Largo das Rosas (praça Antônio Ozanan). 

 

E, claro, escadas informais como a ligação tradicional entre o Córrego do Mato e o fragmento natural do bosque da região do Jardim Brasil. 

 

 
 
contato@jundiahy.com.br

Museu  brasao_jundPernamb
  Site Map